Seja na criação ou melhoria de um processo, no desenvolvimento de um novo produto ou mesmo na prestação de serviço, uma das formas de inovar é a utilização de metodologias e ferramentas que auxiliam nesse processo.

Uma delas, que está sendo cada vez mais utilizada, é o design thinking.

Mais que uma ferramenta, o design thinking é uma abordagem que auxilia na resolução de problemas, transformando desafios em oportunidades. Segundo Tim Brown, CEO da IDEO e criador do conceito, “design thinking é uma abordagem que utiliza a amplitude de pensamento do designer e métodos para resolução de problemas complexos, para atender às necessidades das pessoas de um modo tecnologicamente viável e comercialmente viável. Em outras palavras, o pensamento centrado no ser humano é a inovação”.

Trata-se então de uma nova maneira de fazer perguntas para identificar necessidades reais e, com isso, enxergar um problema usando a perspectiva do público-alvo como base – aquele que, de fato, “vive” o problema.

Apesar de ser uma abordagem criada e utilizada por designers, a prática não se restringe apenas a esse grupo. Pelo contrário, o design thinking proporciona, com o apoio de ferramentas criativas, um processo que pode (e deve) contar com uma equipe multidisciplinar.

Os conhecimentos e pontos de vista diversos de uma equipe multidisciplinar podem criar divergência no início. Esta divergência é saudável e bem-vinda, pois contribui para abrir as possibilidades, aumentando a probabilidade de encontrar soluções que realmente atendam às necessidades do público-alvo.

Os Pilares do design thinking

O primeiro passo para entender o design thinking é compreender os três pilares que o sustentam: empatia, colaboração e experimentação. Veja a descrição de cada um a seguir.

Empatia

O principal pilar pelo qual o design thinking foi criado.

Como vimos, o principal objetivo dessa abordagem é ter a pessoa no centro do processo. Assim, ao se colocar no lugar do público-alvo, ficará mais fácil identificar do que ele realmente precisa e desenvolver soluções que poderão fazer diferença na vida dele.

Colaboração

O poder da soma de experiências ao longo do processo.

Dificilmente uma ideia inovadora é idealizada individualmente. Por isso, o design thinking tem como perspectiva unir pessoas de diferentes linhas de pensamento para buscar atingir resultados que realmente sejam relevantes.

Experimentação

O aprendizado baseado na prática.

Experimentar as ideias ao longo do processo permite descobrir novas soluções e evitar grandes perdas de tempo e investimento. Testando e recebendo feedback, pode-se identificar erros mais rapidamente e, assim, propor melhorias, ajustar e testar novamente, verificando se os ajustes foram eficazes.

Esses três pilares, bem incorporados pela equipe de trabalho, darão o suporte necessário para que o processo ocorra. Além disso, possibilitarão que ela entenda o problema de maneira mais profunda, visando analisar e lidar com obstáculos que certamente surgirão e, assim, experimentar novas soluções.

É válido lembrar que esses pilares servem também como base para o dia a dia nas organizações. Trabalhar com empatia, colaboração e experimentação de tudo que é novo é a base para o equilíbrio, o fortalecimento e a eficiência de uma equipe. A seguir, entenda como utilizar essa abordagem na prática.

O Passo a Passo Para Usar o design thinking no Dia a Dia

Aqui é apresentado o modelo de design thinking elaborado pela IDEO, uma consultoria de inovação fundada em 1991 no estado da Califórnia, nos EUA. Ela utiliza a metodologia no desenvolvimento de produtos, serviços e experiências digitais.

Passo 1

Imersão

Conheça mais sobre o seu público-alvo

Neste primeiro momento, é necessário realizar uma pesquisa em que é preciso entender verdadeiramente as necessidades da pessoa que está no centro (seja o consumidor, o colaborador etc.). O que ela sente com o problema? O que, para ela, pode parecer uma boa solução? Do que ela realmente precisa? Essas perguntas poderão apoiar o entendimento do que realmente fará diferença no dia a dia da pessoa quando for entregue a solução. Aqui você pode utilizar, como ferramenta-base, o Mapa de Empatia; assim fica mais fácil entender quais são as dores e os ganhos do seu público. Essa ferramenta pode ser acessada pelo link disponível no bonus track.

Passo 2

Definir

Defina seu objetivo

A partir dos insights obtidos na etapa de imersão, você terá insumos para definir o objetivo a ser atingido. Esse objetivo é o problema que será resolvido. Nesta etapa, podem ser utilizadas ferramentas, como os 5 Porquês ou o Diagrama de Ishikawa, para auxiliar a identificar a causa-raiz do problema e, assim, dar foco ao que realmente precisa ser desenvolvido. Essas ferramentas podes ser acessadas pelos links disponíveis no bonus track.

Passo 3

Idear

Tempestade de ideias

Nesta etapa, as ideias devem surgir sem que as pessoas tenham medo de desaprovação ou de errar. Durante o brainstorming, todas as ideias são bem-vindas e não deve haver censura para que a criatividade flua de maneira mais solta. Assim, poderá ser descoberta uma solução que seja viável e eficiente. É importante que pessoas de diferentes áreas e/ou linhas de pensamento estejam participando, possibilitando o surgimento de diversos pontos de vista. Nesta etapa, você pode utilizar como ferramenta o Idea & Concept Development (Hyper Island), uma dinâmica eficaz de conduzir e organizar um brainstorming. Essa ferramenta pode ser acessada pelo link disponível no bonus track.

Passo 4

Prototipar

Momento da mão na massa

A partir de uma ou mais soluções que foram ideadas, é o momento de prototipá-las. Esse processo pode acontecer de diferentes maneiras, com a utilização de diversos materiais com o objetivo de tangibilizar e simular a solução a ser testada. O importante é que esteja o mais próximo possível da experiência que será entregue ao público-alvo. Nesse momento, é essencial que esteja disponível uma série de materiais, como: lápis, borracha, canetas, folhas de sulfite, folhas de flip chart, papel colorido, Post-its, papelão, canetinhas e lápis coloridos, LEGO, régua, tesoura, cola, fita-crepe, fitas adesivas etc.

Passo 5

Testar

Colocando a solução à prova

Após essa fase, deixe claro para a equipe que tudo o que for dado de devolutiva deve ser levado em consideração. Junto com o time, avalie os insights obtidos e defina se alguma modificação deverá ser implementada ou se será necessário o desenvolvimento de um novo protótipo. Apesar de ser descrito como um processo, o design thinking tem uma característica poderosa, que é a não linearidade. Sendo assim, caso identifique que alguma das etapas não tenha sido realizada de maneira mais fiel ao objetivo, retorne e refaça-a para garantir que esteja sendo desenvolvida de um modo mais alinhado ao propósito inicial.

Outros modelos de design thinking também são muito utilizados, como o do duplo diamante, desenvolvido pela British Design Council, conheça mais sobre o assunto no bonus track.

E aí, ficou claro o quanto o design thinking pode ser um apoio não apenas para o desenvolvimento de produtos e serviços, mas também como uma oportunidade de resolver problemas complexos, que envolvem a equipe no dia a dia? Pense em como utilizá-lo e veja o quanto poderá agregar no desenvolvimento das pessoas e nas necessidades de melhoria dos processos da sua área de trabalho.

Design Thinking. David Kelley.

Disponível em: https://www.ideou.com/pages/design-thinking.

Acesso em: 31 ago. 2018.

Design Thinking for Educators. IDEO.

Disponível em: https://designthinkingforeducators.com/design-thinking/.

Acesso em: 5 set. 2018.

OS TRÊS pilares do Design Thinking. Edu Agni.

Disponível em: https://uxdesign.blog.br/os-tr%C3%AAs-pilares-do-design-thinking-90226449a0a4.

Acesso em: 2 set. 2018.

QUE tal aplicar o Design Thinking na prática? 3M

Disponível em: https://www.3minovacao.com.br/aprenda/cursos/que-tal-aplicar-o-design-thinking-na-pratica.

Acesso em: 31 ago. 2018.

WHAT is Design Thinking? IDEO.

Disponível em: https://www.ideou.com/blogs/inspiration/what-is-design-thinking.

Acesso em: 2 set. 2018.

WHY Design Thinking is relevant. IDEO.

Disponível em: https://www.ideou.com/blogs/inspiration/david-kelley-on-design-thinking.

Acesso em: 2 set. 2018.